Somoil enfraquecido pela desgraça dos seus “padrinhos” Manuel Vicente e Joaquim David

Os fundadores da Somoil bem como os seus principais accionistas, nomeadamente, o antigo ministro da Indústria, Joaquim David e o antigo vice-presidente da da República e ex-PCA da Sonangol, Manuel Vicente, estão na mira de João Lourenço. A Procuradoria Geral da República (PGR), divulgou no dia 13 de junho os nomes das empresas que receberam recursos públicos de forma irregular. Entre eles, o fundo chinês de investimento de capital Lektron Capital, fundado em 2011 sob o nome de Global Finance, que em 2014 obteve um empréstimo de 125 milhões de dólares da Sonangol para adquirir ações do Banco Economico. Como o empréstimo não foi pago, os acionistas da Lektron, Manuel Vicente e Manuel Hélder Vieira Dias Júnior, “Kopelipa”, são obrigados a devolver os fundos. Quanto a David, três de suas empresas têxteis que se beneficiaram de um empréstimo garantido pelo Estado de 1 bilhão de dólares do Japan Bank for International Cooperation (JBIC) terão que cessar as negociações.

Quadros da presidência de José Eduardo dos Santos (1979-2017), Joaquim David como Manuel Vicente continuam a ter  influencias na era Lorencista.

Para a revista francesa, Africa Energy Intelligence na sua edição de 25/06/2019, os processo movidos contra os principais accionista da Somoil, enfraquecer a empresa, porque surgem num momento em que a reestruturação da Sonangol poderia ter sido uma oportunidade para a Somoil. Além da privatização de 72 de suas subsidiárias, a companhia pública procura vender suas participações em blocos como 15/06. Mas a Somoil, cujo fluxo (2,7 milhões de barris ou 0,5% da produção nacional) caiu 11% em 2017, é retardada pelo subinvestimento que poderia, portanto, piorar. A empresa tem que pagar dívidas aos seus parceiros (AEI nº 835) e recentemente enfrenta a potencial retirada pelo Ministério do Meio Ambiente de sua licença de exploração para o bloco terrestre do Soyo, onde sofreu em abril fogo. Para lidar com isso, a Somoil conta com Nelson Pacavira (ex-Chevron), nomeado CEO em abril, que conhece bem o presidente da Sonangol Gaspar Martins, ex-CEO da Somoil (2015-2017).

A Somoil S.A, é uma petrolífera privada fundada por veteranos do sector dos petróleos em Angola, e antigos colaboradores do então Presidente José Eduardo dos Santos, entre eles, Manuel Domingos Vicente, Desidério da Graça Veríssimo e Costa, José Carlos de Castro Paiva, entre outros.