Ajustamentos pontuais aos Estatutos do MPLA na agenda do 7º Congresso Extraordinário

O MPLA, partido no poder em Angola, divulgou nesta terça-feira a agenda de trabalhos do 7º Congresso Extraordinário, a realizar-se no próximo sábado (15), no Complexo Turístico Futungo 2, em Luanda.

A agenda de trabalho prevê, entre outros pontos, “Ajustamentos pontuais aos Estatutos do MPLA”, “Processo eleitoral e alargamento do Comité Central”, bem como a “Aprovação dos documentos finais – Resolução Geral do 7.º Congresso Extraordinário e moções”.

O encontro, que vai decorrer sob orientação do líder do partido, João Lourenço, tem como tema “MPLA e os desafios do futuro-Processo Autárquico”.

O conclave será composto por dois mil e 591 delegados, participantes ao 7.º Congresso Ordinário, realizado de 17 a 20 de Agosto de 2016, nomeadamente, o Presidente do Partido, os membros do Comité Central em pleno gozo dos seus direitos, deputados do Grupo Parlamentar, delegados eleitos pelas conferências provinciais e membros do Governo, militantes do MPLA.

A lista prossegue com os militantes da OMA e da JMPLA, eleitos pelos respectivos comités nacionais, representantes dos antigos combatentes e veteranos da Pátria, militantes eleitos pelas respectivas associações, militantes de outras organizações sociais e associadas ao Partido, delegados eleitos nas conferências das estruturas no exterior e representantes dos organismos intermédios.

Participam, igualmente, directores do Comité Central (CC), embaixadores militantes do MPLA, autoridades tradicionais angolanas, quadros do aparelho auxiliar centra, delegados à disposição da direcção do Partido e os candidatos a membros do CC.

Os Estatutos do MPLA estipulam que deve considerar-se válido um Congresso quando nele estiver presente mais de metade do total dos delegados eleitos, portanto, 50 por cento mais um.