Banco português vai financiar 85% das obras da Base Naval do Soyo

A Caixa Geral de Depósitos (CGD), banco português, vai financiar 85% do contrato de 270 milhões de euros adjudicado à construtura Mota-Engil para a modernização das instalações navais do Soyo, segundo um despacho assinado pelo Presidente angolano.

Num despacho presidencial datado de 22 de maio e a que a Lusa teve hoje acesso, além de ajudicar a empreitada à construtura portuguesa, o Presidente de Angola, João Lourenço, aprovou um contrato de financiamento entre o Estado angolano e a CGD avaliado em 252.530.810 euros.

O valor presente neste contrato de financiamento destina-se à “cobertura de 85% do Contrato de Empreitada” e a “100% do prémio de seguro”, lê-se no documento assinado pelo chefe de Estado angolano.

João Lourenço justificou a celebração destes contratos com a “necessidade de recursos financeiros para materializar os projetos de investimentos públicos e melhorar as condições das infraestruturas do país” e com a “necessidade de financiar o projeto de modernização das infraestruturas navais do Soyo”.